quarta-feira, 23 de maio de 2018

Compasso


Meus microcontos
Resultado de imagem para TE OLHANDO DA JANELA
imagem Google



Compasso
Palavra do  dia



No compasso dos seus passos, seus cabelos, para cá e para lá. Eu vidrado nesta ginga, coração aos sobressaltos todo dia ficava a espera pra te ver passar. E amei cada momento, cada dia que você desceu a  rua, que subiu pra avenida, que voltou pra casa. E amei  cada sorriso, cada brilho daquele verde olhar tão bonito. Cobri você de magia pra depois  em versos  te eternizar  em  poesias.


23/05/2018 – quarta-feira – 11:25

terça-feira, 22 de maio de 2018

Força



#Grupoquintal
Resultado de imagem para despedida na estação
Imagem Google





Força
Palavra do dia


Fez uma força enorme pra não chorar. Engoliu as lágrimas e tentou botar um sorriso no rosto. Mas era um sorriso triste. Num último abraço envolveu com tanta emoção aquele corpo amado como se quisesse  não deixa-lo partir. O trem apitou forte e se perdeu na curva do caminho enquanto ela continuava a acenar com a mão como se ele pudesse vê-la de tal distância. Depois, tomou as rédeas da vida e seguiu pra frente sem olhar pra trás.



Carlos Marcos Faustino
22/05/2018 – terça-feira – 19:58

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Perfil


Conto
 #Grupoquintal
Resultado de imagem para atraçao fatal

Imagem Google



Perfil
Palavra do dia



 Procurava um relacionamento, tinha muito amor pra dar. Ficava na internet a procura de algum perfil que despertasse algo nela.  Naquela noite, quase madrugada ela acordou em sobressalto. Tivera um sonho com um desconhecido, um sonho muito real e significativo e sensual. Sentiu um ímpeto de ir pro computador.  Levantou-se, ligou a máquina e entrou num site e depois em outro.  De repente viu algo que a interessou. Em principio olhou a foto que se oferecia pra amizade ou algo mais profundo. Ficou muito atraída por aquele rosto e por aquele corpo que se estampava ali na tela. Iniciou uma conversa.  À medida que o tempo se consumia na noite, a conversa foi ficando mais apimentada. Afinal ela já tinha perdido tempo demais. Enviuvara há pouco menos de um ano e não suportava mais a solidão daquele apartamento vazio. Aceitou sem pestanejar o convite pra um encontro naquela mesma noite no apartamento dele. Ela não podia deixa-lo vir no dela. Temia por sua reputação, caso o porteiro do prédio que tinha fama de fofoqueiro visse o estranho adentrar o prédio em busca dela.
Depois de dar um trato no rosto e nos cabelos, colocou a sua roupa mais provocante e foi para o encontro. Ela realmente não se decepcionou ao vê-lo ao vivo. As coisas foram tomando caminhos tórridos. Ela estava totalmente a mercê daquela paixão inesperada. Já alta madrugada ele se ofereceu pra leva-la de volta pra casa. De tão envolvida que estava nem percebeu que ele tomara outro caminho que não o dela. Enveredou o carro pra um lugar deserto fora da cidade e ali mostrou o seu verdadeiro perfil.
Os jornais do dia seguinte estampavam a foto dela na primeira página com a seguinte manchete: “Mais uma vitima do desconhecido serial Killer encontrada morta, nua e com o coração  fora do peito, literalmente arrancado”


Carlos Marcos Faustino

11/05/2018- sexta-feira – 15:23


quinta-feira, 10 de maio de 2018

Chuva


 Conto  #quintal
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, atividades ao ar livre, água e texto

Imagem Google


Chuva
Palavra do dia




A chuva batia na vidraça. Passava da meia noite. Da sua sacada podia divisar perfeitamente o que se passava na sacada do prédio ao lado. Será que ela estaria lá como da outra vez que choveu forte. Seus olhos faiscavam de tanto desejo. Levantou-se e foi até sua janela. Não se enganara, lá estava ela, nua, belíssima a mercê da chuva que caia. Pegou o binoculo para trazê-la mais perto e se deliciou com aquela cena magnifica. Uma verdadeira obra de arte de escultural beleza. Uma deusa. Não se deu conta do tempo que passou. Depois de tudo, quando a sacada do prédio ao lado já estava vazia  ele retornou pro seu leito e fui busca-la no sonho pra que a noite terminasse perfeita.


10/05/2018 – quinta-feira – 16:28

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Frescor


Conto  #Quintal
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, noite e atividades ao ar livre

Imagem Google



Frescor
Palavra do dia 


Abriu a porta, olhou a rua, jogou os passos no frescor da madrugada. As luzes da cidade ainda estavam acesas, o dia já insistia em amanhecer.
Foi digerindo quarteirões, imerso em seus pensamentos. Estranho é que cruzava algumas pessoas que parecia conhecer, mas não de agora. As ruas também se enveredavam por construções estranhas a ele.
Tudo isso só podia ser um sonho, mas nem  se lembrava de ter deitado. Saíra de sua casa pra caminhada e agora tudo parecia diferente, Precisava voltar, mas porque os seus passos não obedeciam a sua vontade.
Sentia-se tragado por uma força estranha. Um suor frio descera na sua fronte. O seu coração estava disparando, as forças  também cessavam. Era um sonho sim, precisava acordar, mas onde será que estaria indo. A rua terminava numa porta que se abriu conforme ele se  aproximava. Foi tragado pra dentro dela e arremessado escada abaixo.  Um sobressalto, um grito assustador o colocaria desperto sentado em sua cama.



09/04/2018 – quarta-feira  -10:46

terça-feira, 8 de maio de 2018

Palacete

Conto

Resultado de imagem para casebre ao pe da serra

Palavra do dia
Palacete

No meu palacete ao pé da serra
Nas proximidades do riacho
De noite  sinfonia dos sapos
De dia quem canta são pássaros

Luz  da lua em meu telhado
E um lindo céu de estrelas
Formam a mais linda tela
Meu pedacinho encantado

E também quando amanhece
Bem antes que o sol desperte
Escancaro minhas janelas
Pra vida  entrar por ela 

Eu posso não ter riqueza
Aqui a  felicidade impera
Vais gostar tenho certeza
Do meu palacete ao pé da serra




08/05/2018 – terça-feira – 18:13

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Sabor


Conto

A imagem pode conter: 1 pessoa
Imagem Google


Sabor 
Palavra do dia

O sabor doce da juventude conservou no seu  coração. As pernas já estavam meio doloridas, a pele meio flácida, os olhos fundos, mas lá dentro da alma uma melodia dirigia os passos do seu dia a dia. Mesmo que não houvesse amanhã não importava muito, o seu hoje era muito intenso.
Na sua moradia, o seu fiel  companheiro preenchia os seus momentos de solidão. Ele cozinhava pra ele, acordava pra ele  e até estabelecia diálogos  que o amigo parecia perfeitamente entender.
Todas às vezes na sua chegada da rua, aquele alegre abanar de rabos, aquelas doces lambidas em suas mãos, por vezes até aqueles dentes à mostra num belo sorriso. Não tinha mais ninguém de seu no mundo,  mas tinha aquele afeto que sabia ser eterno.
Viradas as páginas de cada dia seguia-se aquela feliz rotina., mas o inverno sempre chega um dia, devagar, sem   se perceber ele vai tomando conta. O corpo cada vez mais fraco   e aquele doce sabor preparando a alma pra grande viagem.  Sentados assim um  ao lado do outro foram  encontrados já sem vida no interior  daquela velha residência. O elo que os uniu em vida não se rompeu com a morte.


 Carlos Marcos faustino
07/05/2018- segunda-feira -22:57
#Grupoquintal

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.