sexta-feira, 5 de abril de 2013

As dálias

                          Dálias
As dálias
Uma dália amarela, eu vi,
Uma linda dália amarela,
Ao passar numa janela, bem ali,
Numa rua perto de casa.
Reportou-me a outras dálias,
à certas dálias vermelhas,
Numa casa amarela, só janelas,
Sem vidraças, com tramelas,
Entre rosas, cravos, trepadeiras,
Em tempos de primavera.
Hoje nas minhas janelas,
Nem cravos, nem rosas, nem dálias,
Sequer existe um jardim,
Quando deixo escancaradas,
Nas minhas saudades caladas
As  flores de minha mãe
Renascem, revivem em  mim.
Autor:
 Carlos Marcos Faustino
 05/04/2013- Sexta feiraDia - 15h51m

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.