sábado, 9 de janeiro de 2016

Vão-se os dias


Vão-se os dias

Os dias vão-se indo
Manhãs chuvosas de domingo
Tardes ensolaradas
Noites recheadas de sonhos

Aperta-se o coração
Saudades doídas
Vão-se os afetos de partida
Fica-se o vazio
Lágrimas retidas
Nos cômodos da casa inteira
Presença daquelas ausências estampadas
Som de vozes caladas

Uma vontade de escancarar as janelas
E chamar de volta os pássaros que já voaram
Vê-los em revoada naquela algazarra
Invadir os quartos, a cozinha, a sala
Deitar canções
E estancar  o silêncio que me agoniza
Espalhando sementes de risos.

Vão-se os dias
É preciso.

Autor
Carlos Marcos Faustino
09/01/2016 -  Sábado – 13h03
Chove torrencialmente lá fora




8 comentários:

  1. Elizabete Aparecida Lopes de Arruda
    Que linda!

    ResponderExcluir
  2. Valter Hernandez Linda.
    32 min
    Sonia Gava Rodrigues
    Sonia Gava Rodrigues Maravilhosa!

    ResponderExcluir
  3. Marcia Pascoto Muito linda! Parabéns!

    Tania Maria Gimenes Brochini
    Tania Maria Gimenes Brochini Muito linda

    Waldemira Seffrin
    Waldemira Seffrin Que inspiração!

    Isabel Andrade da Silva
    Isabel Andrade da Silva Linda poesia, Parabéns!

    ResponderExcluir

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.