sábado, 18 de julho de 2015

Poeira

                                                         


Poeira ( Renascer)


É pra la que vão rolar as águas
pro recanto onde as mágoas
tornar-se-ao apenas
 gotículas pequenas
Uma tênue poeira
Um véu a cobrir a cachoeira
É neste paraíso
Que com as bênçãos dos céus
Vou buscar de novo o riso
pra colorir os meus sonhos
Desfazer todos meus gritos
e renascer

Autor
Carlos Marcos Faustino
18/07/2015- sábado - 19h15


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.