sexta-feira, 13 de março de 2015

Velho Chico


Velho Chico

Sonhos estampados em seu riso aberto
Velho Chico trouxe la  dos idos de mocinho
Planos de sempre estar com Deus, feliz, tranquilo.
Sempre o bem fazer, nunca ser mesquinho

Chico dava a ultima camisa, um lugar à mesa,
Um pouso, uma palavra amiga
A sua porta sempre aberta aos desvalidos
Não que Chico fosse rico, pelo contrario
O seu  salario mal dava pra esposa e filhos
Vida de pobre, honesto, Chico de orgulhava disso

Mas esperança sempre trazia naquele olhar amigo
Chico era querido, amado por muitos
Pelas mulheres, pelas mocinhas
Desde os tempo  de rapaz
Por isso  tristeza  havia
Nos olhos de sua companheira
A vida inteira
Chico a todas conquistava

Chico também foi poeta
Que nunca escreveu seus versos
Chico também foi cantor, sonhador
Velho Chico, agora sei  o quão viveu de amor

Autor
Carlos Marcos Faustino

30/11/2014- Domingo -23h41

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.