segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Cobra coral


Cobra coral


Rasga falsas palavras empoeiradas,
Como se estivessem de humildade maquiada,
Dize de amor duma forma tão velada
Que ao teu redor as pessoas deleitam-se embriagadas.

Mesmo do teu olhar dum mentiroso adocicado
Farpas de rancor delineiam-se por todo o lado,
 E é no teu beijo frio que um suave veneno é compartilhado
Enquanto o teu abraço qual grilhões nos deixa acorrentados.

Angelical presença pra quem nem diferença nota
Pra quem embarca em seus guizos te achando fada
Mas tua picada revela o quanto é perigosa
Quando em teu caminho alguém ofusca a tua rota.




Autor
Carlos Marcos Faustino
15/02/2015- Domingo- 23h52


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.