sábado, 13 de setembro de 2014

Luzes apagadas

Foto: Luzes apagadas

Cadê a tua luz acesa meu amigo,
Ou será que é a minha que esta apagada,
Vou acendê-la então de madrugada,
Pra que o sol ao chegar me veja,
Mesmo que eu esteja adormecido.

A noite nem sempre é companheira,
Principalmente se não houver algum lume,
Nem no céu uma única estrela,
Nem nos campos um solitário vagalume.

Por isso, uma luz, qualquer que seja,
Que se fizer presente será bem vinda,
Uma luminosidade toda benfazeja,
Pra deixar a tristeza na berlinda.

Autor
Carlos Marcos Faustino
14/09/2014- domingo- 00h12m

Luzes apagadas

Cadê a tua luz acesa meu amigo,
Ou será que é a minha que esta apagada,
Vou acendê-la então de madrugada,
Pra que o sol ao chegar me veja,
Mesmo que eu esteja adormecido.

A noite nem sempre é companheira,
Principalmente se não houver algum lume,
Nem no céu uma única estrela,
Nem nos campos um solitário vagalume.




Autor
Carlos Marcos Faustino
14/09/2014- domingo- 00h12m




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.