sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Por acaso

Por acaso

Por acaso, apaixonei-me,
Era no brilho dos teus olhos que pensava,
Era no contorno dos teus lábios que  desejava,
Quando dormia, acordava, comia, andava,
Quando aspirava o ar que me trazia vida,
Quando assim tão jovem via-me de partida.

Por acaso apaixonei-me,
Debrucei-me na janela desta adolescência,
Pra te amar no decorrer dos anos,
Sem planos, sem ciúmes, sem conforto,
Apenas o meu amor que não me coube,
Apenas esta incerteza, você nunca soube.

Amei solitário, em todas as canções e versos,
Com você sonhei noites e dias quando desperto,
E me embriaguei por certo com todas essas emoções
Mas tudo se foi com a ida da  adolescência no embalo das estações.


Autor
Carlos Marcos Faustino

09/07/2014- Quarta Feira- 13h28m

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.