terça-feira, 27 de maio de 2014

Pesadelos


Pesadelos

Loucos devaneios, fogo até pelos cotovelos,
Deitar a fronte em cubos de gelo,
Beber a agua que em pingos de chuva desce,
“Salgado sabor talvez também  de lagrima fosse”,
Rasgar o riso numa expressão doce,
Pelas cascatas rolar encostas,
E se juntar as flores mortas,
Que o vento arrancou nas  suas idas e voltas,

Decompor-se depois no nascer do dia,
Em raios de  sol repletos de reflexos.
Esquecer-se das loucuras dos seus pesadelos,
Faz-se tempo de desembaraçar os nós dos novelos,
Entrelaçar as mãos, unindo todos pelo coração e pelos dedos,
Partir na louca aventura do viver acordado,
Melhor que dormir sonhos  ora gelados ora incendiados.


Autor
Carlos Marcos Faustino
27/05/2014- Terça Feira-14h07m




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.