quinta-feira, 13 de março de 2014

O Portal

O  Portal

Porta entreaberta, alma desperta,
Na noite escura, não fosse a lua,
Descer  faceira e adentrar pela janela,
Cordão de Prata que  me liga ao corpo,
Seria o único brilho a refletir naquele espaço.

Ninguém no quarto que adentrasse,
Jamais poderia vê-lo, tocá-lo,
Seguro,  volitei até o teto,
La embaixo, descoberto, sereno,
Eu parecia apenas um pequeno objeto.

Mas segui viagem, atravessei o telhado,
E do outro lado, que maravilhosa paisagem,
Nuvens brancas, mas tantas, mas tantas,
E uma celestial melodia, “Danubio Azul”,
A valsa de Strauss, como trilha sonora,
Das minhas muitas cambalhotas, numa dança magistral,
“ Aquela que só eu conheço”,
Tudo em câmera lenta, e assim eu ascendia,
Ah! Meu Deus, acabaram-se os meus  dias ?
Perguntei-me num momento em que botei meu pensamento.
Lá em baixo nos meus filhos,
Foi fatal, num sobressalto, despertei aflito

Autor
Carlos Marcos Faustino
14/03/2014- sexta feira – 01h11m



Um comentário:

  1. Rosa Paula Gomes
    Q lindo desdobramento....
    07 de março de 2017 às 14:00

    Tania Maria Gimenes Brochini
    Tania Maria Gimenes Brochini Linda. Essa viagem ao Paraíso foi pura magia mas o elo com os filhos é magico
    07 de março de 2017 às 21:00

    ResponderExcluir

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.