domingo, 23 de fevereiro de 2014

Meus medos


Meus medos

Meu coração não bate, dispara no peito,
Acho que é o jeito de extravasar as magoas,
 Vou romper com todas as dores, colocar flores nos caminhos,
Pois por  todo o tempo que andei sozinho,
Acumulei medos que por chegarem tão cedo,
Foram tomando espaço, cantinho a  cantinho,
Até explodirem entremeio ao pulsar de minhas veias,
Veio que veio,  um a um  tomando conta, envolvendo-me em suas teias,
Mas   vou  acender minhas candeias,  acalmar o peito,
E  sorrir, vou ser feliz do meu jeito, mandar o medo embora,
Antes  que o tempo passe, que a vida acabe,
Antes que o sonho  perca a o brilho e se transforme em pesadelos.


Autor
Carlos Marcos Faustino
23/02/2014- domingo – 00hs36m



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.