sábado, 11 de janeiro de 2014

Flagelos



Flagelos

Desbotam as coisas ao longo da vida,
Mesmo que não se queira,
Desbota-se  o sorriso, perde o olhar seu brilho,
Desbotam-se  também as  dores das perdas,
Ficam  entretanto as doces lembranças como acalantos.

É preciso não deixar desbotar os nossos sonhos,
Que o corpo envelheça, mas que a alma prossiga,
Que nenhum  dos  espelhos desta vida,
Te faça  curvar a cabeça, teça sempre novos planos.

E se quiserem te chamar de  velho,
Lembre-se  da eternidade que te espera além vida,
Existem tantos outros flagelos,
ser velho não é castigo, é conquista..


Autor
Carlos Marcos Faustino
11/01/2014  - Sábado – 20h26m






Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.