quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

As curvas


As curvas

Pelos teus contornos, sigo,
Nas ondas dos teus cabelos,
Nas marcas do teu sorriso,
Na expressão dos teus olhos,
No teu pescoço,  nos  braços.

Meu coração entra  em alvoroço,
Quando desço pros teus seios
Redondos, cheios
E me transporto pro teu umbigo.

A minha velocidade em tantas curvas,
Mesmo lenta, tenta, mais devagar ainda,
Não naufragar antes do final da viagem,
Treme as minhas mãos, descompassa o coração,
E outras curvas  vem surgindo então.

E é nos abraços  repletos de aconchego,
Que por todas as curvas sigo em total desvelo,
Não pode haver acidentes de percurso,
Mesmo com todos os desejos acesos.

 E a explosão que em mim então ocorre,
Traz-me de volta, final de viagem, desperto,
Só resta o suor que do meu corpo então escorre,
 e lembranças de quando num sonho do corpo estive liberto.


Autor
Carlos Marcos Faustino
Quarta Feira -08/01/2014-19h53m



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.