segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Rédeas




Rédeas

É pelo leme que o navegador não deixa a sua nau à deriva,
Quando em alto mar somente tem as ondas e o céu por companhia
É pelas batidas do seu coração que se apercebe das   fortes emoções,
E é no controle das rédeas  que ele  cavalga  em sua  vida.

É  derramar sorrisos mesmo quando para isso impossível seja,
É jogar pro alto,  sem olhar pra trás o que ficou no asfalto,
É sempre erguer a  cabeça, deixar que a luz do olhar ilumine, aqueça,
Fazendo com que te esqueças do  mundo as falsidades,  a frieza.

No mar, no ar, na terra, em  qualquer  lugar que estejas,
A fonte, o  porto seguro, a  luz que irradia do sol, tanta energia,
Tudo em você contido, pra refletir nos seus irmãos, amigos,

Em suas mãos, o controle, pra não ser apenas mais uma embarcação,
As rédeas pra desviar dos rumos que  se disfarçam em calmarias,
E te levar pros braços envolvidos em laços de amor ,  tal qual sempre querias.


Autor
Carlos Marcos Faustino

17/11/2013- domingo -00h54m

Um comentário:

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.