sábado, 9 de novembro de 2013

Algemas


Algemas

No branco do papel  mergulhei o meu olhar,
 fui navegar no mais distante  da imaginação,
Mesmo  vagando zonzo  todos os meus sentidos,
Docemente foram abstraídos  pelo colorido das imagens,

Nem tomei  tento  se voltar desta viagem poderia,
Era um momento de completa  entrega, doce agonia,
Nem era noite, nem era dia, que importa o tempo,
Buscar  novas paragens, novas mensagens pra estampar em poesia.

Só um zumbido foi o sinal, fui atraído, de um bem estar envolvido,
Como  se fora leve tal qual um pena, flutuei por poucos segundos apenas,
Mas que parecia todo o tempo do mundo , mesmo tendo adormecido,
Hora de voltar  às algemas, despertar, pra relaxar, fazer poemas.


Autor
Carlos Marcos Faustino

09/11/2013-sábado- 23h39m

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.