segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Adormecer


Adormecer

Adormecer,
Deixar cair no leito  o corpo pra alma poder sair,
Depois lentamente em liberdade descortinar novas realidades,
Fluir, deixar o sorriso guiar, a luz dos olhos mostrar os caminhos,
Flutuar, sem medo, conhecer os segredos desta dimensão,
O tic tac do coração no leme, nas asas do vento,
Uma viagem envolta  numa doce canção.

Sem pressa alguma, o retorno  não tem hora marcada,
Pode ser na madrugada, não se sabe ainda,
Pode ser num susto, como se levasse um tropeço,
 Ou como sempre acontece, um doce recomeço,
Pode até não ser, tantos vão sem volta,
Como saber? Não importa. Quem se preocupa!
Enquanto a gente todo dia acorda, vive-se a labuta.


Autor
Carlos Marcos Faustino
28/10/2013- segunda feira-12h20m


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.