terça-feira, 24 de setembro de 2013

Tomara

Tomara

Tomara meu Deus que eu levante,
Com o riso estampado  na cara,
Que eu deixe pra noite mal dormida,
Todas tristezas  vividas,
 E de todas estradas passadas,
Meu Deus que eu nada traga,
Tomara meu Deus! Tomara!

Tomara que o sol leve embora,
No toque suave das horas,
Da vida todas as minhas mágoas,
E que traga pro meu novo tempo,
Expressão de contentamento,
Tomara meu Deus! Tomara!

Tomara Deus que eu desperte,
E ao despertar que eu renasça,
Que a situação não me aperte,
Que a vida  não me entregue,
Sem opções de chegada,
Tomara meu Deus! Tomara!

Tomara que eu não esmoreça,
E que se esmorecer, eu não caia,
E que se cair , eu não morra,
E que se morrer, eu  reviva
Estampado em nova vida,
Nova chance prometida,
Tomara meu Deus! Tomara!

Autor
Carlos Marcos Faustino
24/09/2013-Terça Feira- 23h39m

Um comentário:

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.