domingo, 23 de junho de 2013

Pai


Pai

Pai
Faz treze anos que tu partiste,
Tua presença física ficou na saudade,
Tuas memorias pra sempre serão lembradas,
Tuas historias inda hei de contar em versos e rimas,
ou em frases nos meus contos hão de ficar  estampadas.

Pai
Orgulho- me de ser teu sangue, de carregar teu nome,
Que nem sei exatamente de onde veio,
Mas sei que como tu, os teus ancestrais também escreveram histórias,
e que certamente ficaram registradas  pra eternidade todas as glorias,
E sei que também um dia, quando estiver em sua companhia,
Havemos nem  que for por  poucos momentos, de  reviver todos esses belos tempos.

Pai
Quando aproximavas o dia de tua partida,
Lembro-me bem que narravas    todas  as visitas,
Que na hora do teu sono, nas horas dos teus sonhos,
Entre visões  recebias, ora teu pai, tua mãe , ora João Batista.

E junho  chegava e o mês parou no dia vinte e dois
Ficou saudade, você se foi, e no céu uma nova estrela acendeu,
Pai, nos te amamos, estejas eternamente  com Deus

Autor
Carlos Marcos  Faustino

23/06/2013- Domingo – 13h47m

Um comentário:

  1. Marcos Samuel Costa
    Que coisa linda!
    1 de fevereiro de 2014 às 11:10 ·

    Moraes Marta
    Saudades!............
    1 de fevereiro de 2014 às 14:18

    Tania Maria Gimenes Brochini
    Pai, essa palavra pra mim também é saudades. Não sou tão sensível nas poesias como você então, empresto suas palavras para homenagear meu pai: Pai, idem ao Carlos Marcos. Espero que ñ se importa.·

    04 de fevereiro de 2017 às 19:34

    ResponderExcluir

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.