sexta-feira, 14 de junho de 2013

Metades

Uma singela homenagem
Metades

Tigelas de canjica sobre o muro,
Roupas no varal dependuradas,
 romãs ,  jabuticabas e doces palavras,
vozes que serão pra sempre lembradas.

muro baixo ainda, velhos tempos,
olhos esticados, braços jogados
madrugada afora , choros, aconchegos,
crianças  adocicadas  em maternal chamego.

Anos  felizes , momentos  eternizados,
Coração  agora bate tão solitário,
Uma ausência que  nos enche de saudades,

No vazio  todo ainda um perfume invade
Mais que vizinhos, pais, avós, grandes amigos,
Pra sempre  sem vocês seremos  metade.


Autor
Carlos Marcos Faustino
15/06/2013- sábado – 00h09m


4 comentários:

  1. Belíssima homenagem em belos versos

    ResponderExcluir
  2. Tania Maria Gimenes Brochini
    Que lindo e é isso aí, seremos sempre metades com a ausência dos entes queridos que já se foram.
    24 de fevereiro de 2017 às 18:31

    ResponderExcluir

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.