sábado, 8 de junho de 2013

As borboletas azuis

As borboletas azuis

As borboletas azuis,
Do jardim de nossa casa,
Se  foram pra nunca mais,
Como  todos os  ideais,
Aquele riso bonito,
Aqueles antigos sonhos,
Voaram pro  infinito,
Cresci, passou-se o tempo.

Teus olhos no tempo  perdi,
Teu riso no tempo  esqueci,
A vida levou-te embora,
Caminhos  diversos vivi,
Agora aqui bem distante,
As borboletas azuis,
Revivem nas minhas lembranças,
nas flores do nosso jardim,
que ainda estão plantadas,
nas   minhas saudades caladas,
deste  tempo de criança.               
                       

Autor: Carlos Marcos Faustino – 00h22m

4 comentários:

  1. Lindo poema Faustino.
    Viu, me ensina colocar musica no Blog?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado João. Obrigado por visitar meu blog.Quanto a colocar musica no blog eu também ainda não aprendi. Foi um amigo que fez isso por mim. Abraço.

      Excluir
  2. Obrigado. Bom dia. tenho tres musicas no blog? " Air- Johann Sebastian Bach, ' " Love Theme From Romeo & Juliet - Andre Rieu" e " Somewhere in Time- Maksim " nâo sei qual estava tocando quando voce entrou. Mas eu ascho as tres lindas tambem. Abraço. Bem vindo ao meu blog. Volte sempre

    ResponderExcluir

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.