quarta-feira, 22 de maio de 2013

Por conta do vento



Por conta do vento

E em você  que penso, quando me deixo por conta do vento,
E fico a rolar assim como folha seca, sem ponto de chegada,
Feito uma nau no mar em meio  a tempestades, trovoadas,
É só você  que pode  me encher de esperanças nestes  momentos.,

O sorriso já se perdeu dizendo adeus deixando uma rusga no rosto,
Engolindo seco  tudo o que restou, um amargo gosto,
La no fim do túnel, uma tênue luz, me mostra um novo recomeço,
A bonança após a tempestade  como  endereço.

Por conta do vento, quero ser semente que se espalha,
Levando nas asas um canto de paz e energia,
Pra que não existam  mais   aos longo dos dias
Sentimentos    como folhas secas ou nada que o v alha
Quero ser apenas   verso, poesia, música, e  uma doce nostalgia. 


Autor
Carlos Marcos Faustino
22/05/2013- quarta feira- 18h20m

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.