sábado, 20 de abril de 2013

Vai minha poesia







Nenhum texto alternativo automático disponível.
Vai minha poesia
Vai minha poesia, voa, o tempo me leva,  espera ,
Conta pro  futuro, o hoje inseguro, nos versos que deixo,
Vai minha poesia, voa, o tempo me leva, espera,
Fica estampada, que eu sigo a estrada mais pra longe,
Vou deixando escritos  infinitos versos.
Que mesmo não  transcritos, mesmo que não lidos,
Vão ficar nos espaço em formas pensamento
Pra que em novo tempo, sejam novamente inspirados.
Vai minha poesia, encarna em tuas estrofes,  eterniza,
Todas as saudades, milhões de desejos, em suave cadência,
Mostra a um novo  tempo que aqui houve vida,
Houve  paixão, houve raça, movimento e dormência,
Mas que mesmo na quase  inercia houve explosão de fluidos,
E  sentimentos, afora o silencio, afora os ruídos.
Autor
Carlos Marcos Faustino
14/04/2013- Domingo- 18h 48m

3 comentários:

  1. Tania Maria Gimenes Brochini
    Muito linda. Adorei.
    Em 15 de março de 2017 às 00:19

    ResponderExcluir
  2. Antonio Carlos Coutinho
    Bela poesia um abraço
    Em 15 de março de 2017 às 07:28

    ResponderExcluir
  3. Marilu Vedoveto
    Linda poesia!
    Em 15 de março de 2017 às 17:38

    ResponderExcluir

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.