sábado, 9 de fevereiro de 2013

Retratos


Retratos
Por tantas vezes tiveste-me em teus braços,
Por tanto vezes em tuas ruas derramei meu s  passos,
E tuas lembranças todas, deixei-as  em meus  versos espelhados,
Foste  a personagem central dos meus poemas,
Quando distante só  tive você por retratos.
Mas foi no teu berço que cheguei quase menino,
 E por anos e  anos dobrei quase todas tuas esquinas,
Adolescente me viu  rosto quase todo barbado,
Partindo entre um aceno e um   choro    sufocado.
E foi assim te vendo ficando  cada vez mais distante,
O trem apitando na curva, a velha estação, longe, longe,
As ultimas casas, o pontilhão, o estádio , a minha  morada,
 A imagem   dos abraços de minha mãe, estampada.
O tempo levou-me por outros caminhos anos afora,
Hoje  resta-me você, com tuas ruas, com tuas historias,
Um quadro vivo que sempre terei nas minhas memórias,
Desta cidade, que me viu crescer, um dia partir, ir embora.
Autor
Carlos Marcos Faustino
09/02/2013- Sábado- 23h 20m

Um comentário:

  1. Tania Maria Gimenes Brochini
    Lindo Carlos. Eu revivo minha própria história.
    09 de fevceriro de 2017 às 22:04

    ResponderExcluir

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.