segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Verso, amigo verso.


Verso, amigo verso
Verso, amigo verso, que acolhe em suas rimas, as mágoas  minhas,
Que de palavra em palavra, hesita, mas no final  retrata,
O que na alma  machuca , afasta a calma  e reflete  linha por linha,
As  feridas que e m  nossos corações  a vida sem compaixão maltrata.
Verso, amigo verso, que vem assim , fluindo, e ao cair no papel desaba,
As emoções todas contidas, as ilusões, sonhos e paixões  vividas,
Verso que espera adormecido o momento em que a inspiração conspira,
E como um sopro divino em poesia  transpira, emerge, afaga.
Verso, amigo verso, companheiro  constante nesta caminhada,
Já me viu menino,  já me teve outrora,  há longos dezembros,
Quando os pensamentos voavam  da mente, talvez pro agora,
 Verso, amigo verso, és o retrato vivo de minhas memórias 
Autor
Carlos Marcos Faustino
Segunda feira-26/11/2012-
12h11m

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.