sábado, 3 de novembro de 2012

Sensações


Sensações
Quando desperto, meio sonâmbulo,
Inda imerso nas sensações dos meus sonhos
Ou inda repleto de medos  provindos de pesadelos
Aliviado respiro, na cama  me viro , e  tento
Me desligar de novo, dormir calmo, sereno,
Mas não é ameno o torpor que me embriaga,
Luto na impotencia  de acordar, rezo, faço ruidos,
Parece ninguem ouvir  meus gemidos, vem desespero,
Até o momento que emito um grito  e vem suor,
Há silencio ao meu redor, todos dormem.
 
Olho as horas, como a noite demora pra ir embora!
Agarro com as duas mãos, os travesseiros,
Daí uma oração eu balbucio e então imploro
E vou deslizando u m rosario de pedidos, o sono vem,
Quisera inda houv esse um trem, um trem apenas,
Que me levasse noite afora numa viagem tranquila,
E que depois me despertasse pra  seguir a vida.
 
E assim logo que sinto a madrugada, prenuncio do dia,
É pura energia vinda do sol que já se anuncia no céu,
Uma b eleza impar  que combinada ao canto da passarada,
Traz naquele instante pra alma, paz, conforto, alegria
Autor
Carlos Marcos Faustino
03/11/2012- Sabado-23h58m

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LICENÇA - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada

Licença Creative Commons
Todos os textos de Carlos Marcos Faustino, bem como de demais autores postados no Blog de Faustino Entreletras é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Baseado no trabalho em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://faustinopoeta.blogspot.com.br/.